sexta-feira, 3 de outubro de 2008

mais sobre LAURENT

QUERIDOS,


Fiquei tão passada - desculpem o termo, não tenho outro agora - por ver tantos aspiras a chef como eu no evento de inauguração do centro de pesquisas gastronômicas da Universidade Anhembi Morumbi babando pelo tal do "ATOLA" e que não conhecem o maior nome da gastronomia aqui no país, Laurent Suaudeau, que vou publicar mais coisas legais a seu respeito.
CRIANÇAS, ACORDEM ENQUANTO É TEMPO!

Pensem comigo: se Paul Bocuse - esse vocês já pelo menos ouviram falar, né? Pelo amor de Deus! - fosse Jesus Cristo, Laurent seria Mateus, o apóstolo!!! Com todo o respeito, é importante conhecer a linhagem, o pedigree do chef. Portanto...

Genialidade é superar-se a cada dia

Com ousadia, criatividade e, acima de tudo, competência, Laurent Suaudeau enaltece de maneira inédita e extremamente saborosa o traço que melhor representa a cultura de um país: a sua cozinha. Ao unir duas nações como França e Brasil, o resultado não poderia ser mais espetacular. Da entrada à sobremesa, as suas receitas surpreendem e reinventam o sabor, que se traduz em forma, beleza, espírito e desejo.
Nascido em Cholet, Vale do Loire, na França, em 1957, a trajetória profissional de Laurent começou cedo, aos 15 anos de idade. Apoiado pelo pai, decidiu abandonar a escola tradicional e ingressar na carreira de cozinheiro, atendendo a uma vocação revelada desde a infância.
Encontrou no "Lucullos" uma oportunidade de trabalho e um grande mestre - Jean Guerin, que foi seu professor no Lycée e o responsável por despertar em Laurent uma habilidade muito especial: adivinhar, da cozinha, o que estava acontecendo no salão. Guerin ofereceu a Laurent sua terceira oportunidade de trabalho. Foi em um restaurante de primeira linha, o "Les Prés et les Sources", do chef Michel Guérard. O ambiente muito competitivo não permitia companheirismo, e assim estava inaugurado na vida do jovem cozinheiro o rigoroso profissionalismo.
Quando a sua carreira tomava impulso, veio a convocação militar - um contratempo que acabou mostrando-se valioso para Laurent. Perto de deixar o quartel, apostou alto e tentou uma vaga no restaurante do mestre Paul Bocuse. Conseguiu.Laurent já conhecia a fama de Bocuse, de ser um homem muito exigente e detalhista. Era uma divindade para seus subordinados, que, no entanto, não escondiam o alívio quando o chefe se afastava da cozinha por alguns dias.
Logo o talento de Laurent foi notado. E, em 1980, Paul Bocuse ofereceu a Laurent Suaudeau uma missão que mudaria radicalmente a sua vida: o cargo de chef assistente no "Le Saint Honoré", restaurante da rede Méridien, no Rio de Janeiro. Recém-chegado ao Brasil, desanimou-se com a qualidade do trabalho do pessoal de cozinha. Mas o estímulo de Bocuse e a descoberta de receitas e ingredientes típicos do país, como cupuaçu, manga, tucupi, maracujá, mandioquinha, fizeram o então chef assistente mudar de idéia. Em apenas um ano Laurent era o chef de cuisine do "Le Saint Honoré".
Laurent apaixonou-se pela riqueza e variedade de cores, aromas e sabores brasileiros. Começou então a desenvolver o que hoje pode ser uma nova escola de gastronomia. Além de criar receitas inigualáveis, criou raízes no Brasil, casando com a piauiense Sissi, com quem teve dois filhos, Janaína e Gregory.
Em 1986, abriu o seu restaurante no Rio de Janeiro, o "Laurent", que imediatamente foi considerado o melhor restaurante do Rio e também o melhor do Brasil pelo Guia 4 Rodas. Em 1991, transferiu o sucesso para São Paulo - mais uma vez tornando-se referência e ponto de encontro de intelectuais, artistas, empresários e demais apreciadores da que foi chamada a melhor cozinha francesa do país.
No final de 2000, decidiu interromper a atividade do restaurante para dedicar-se à sua escola de cozinha. Laurent Suaudeau adotou o Brasil, e quer deixar para os novos chefs brasileiros a sua herança culinária. Para isso, fundou a Escola das Artes Culinárias Laurent, que consolida um novo perfil de gastronomia e tem como intuito principal o aperfeiçoamento de chefs de cozinha e profissionais da gastronomia.. É a sua forma de agradecer ao país o respeito e o reconhecimento conquistados durante todos esses anos.
De maio de 2003 à dezembro de 2004, funcionou o Restaurante Laurent da Al. Lorena em São Paulo, que fez história; acumulou os principais prêmios da gastronomia em pouco tempo:
Revista Gula (Chef do Ano de 2003 e Melhor rest. frances de São Paulo de 2003 e 2004)
Revista Veja São Paulo (Chef do Ano de 2003, , Melhor sobremesa de São Paulo de 2003 e Melhor rest. frances de São Paulo de 2003 e 2004)
Guia 4 Rodas (Chef do Ano de 2003 e o restaurante recebe “Três Estrelas”, fazendo parte do seleto grupo de cinco restaurantes três-estrelas no Brasil)
Em 2004, Laurent passa a ser “Maître Cuisinier de France”, fazendo parte desta organização mundial destinada a abrigar os melhores chefs mundiais e lança seu segundo livro, “Cartas a um Jovem Chef”, dirigido à nova geração de cozinheiros, além de palestrar com freqüência à fornecedores do ramo e ao empresariado em geral.
Desde o fechamento do restaurante Laurent, o chef concentra sua alta gastronomia no Espaço Cultural Laurent, um espaço vip reservado para eventos pequenos, destinado a uma clientela selecionada e que funciona no mesmo local da Escola Laurent.



Maîtres Cuisiniers de France

O Maîtres Cuisiniers de France é o título mais almejado por todos os Chefs. Mais do que um reconhecimento pelo talento e genialidade, esse título representa todo o esforço e trabalho de um Chef pela difusão da arte culinária francesa.Em outubro de 2004 Laurent Suaudeau recebeu a medalha das mãos do presidente do comite organizador na França, M. Jacques Marguin e o chef Roger Jaloux (chef da casa Paul Bocuse, 3 estrelas Guia Michelin).Para a ocasião foi preparado um jantar a quatro mãos, por Laurent e Roger Jaloux, onde convidados especiais puderam desfrutar de momentos inesquecíveis.




endereço do restaurante: Alameda Lorena, 1899 Jardim Paulista SP.

Telefone: (55 11) 3062-1452 e (55 11) 3085-0356
Horário:- Almoço (terça à sexta e domingo)- Jantar (segunda à sábado)

Um comentário:

Chef Pasotti disse...

Oieee Ana, tudo bem??Achei sem querer teu blog e adorei o conteúdo,estava procurando sobre a história pregressa dos chefs franceses de antigamente e apareceu tu.....rs
Eu sou aluno da gastromotiva, do David Hertz, e o curso tem parceria com a Anhembi....tu estudas em qual período....gostaria muito de poder conhecê-la....e trocar informações durante nossa estada na terra...rsrs
Se cuidaaa, um beijuu...Dan